sexta-feira, 26 de maio de 2017

Brazil: Out to the Streets to Bring Down the Temer Government!



For a United Front of Struggle! Organize a General Strike and Popular Uprising Now! No to the Ongoing Coup of the Ruling Class! For a Workers’ and Popular Government!  
Statement of the Corrente Comunista Revolucionária (Section of the RCIT in Brazil), 19 May 2017, http://elmundosocialista.blogspot.com/  
1.                   The Temer government is in a deep crisis. What everybody already previously knew has now been proven by audio tapes. Temer himself, as well as other leading figures of the government, are deeply entangled in the web of corruption of the ruling class; grotesquely so, as this government itself illegitimately came to power last year under the banner of the "struggle against corruption" which in fact was an institutional coup d'état against the elected PT-led government of Dilma Rousseff.  
2.                   The real reason for this coup was the desire of the ruling class to accelerate the attacks on the working class and the popular masses. This is why Temer wants to push through the widely despised labor and pension reforms. These reforms would destroy our social gains for which we fought so hard in the past!  
3.                   Given the popular resistance against these reforms – including the biggest general strike for decades on 28 April with 40 million people participating – the ruling class is now prepared to let Temer fall. They will try to continue their coup and to enhance its achievements for them, via parliamentary maneuvers (and with lots of bribery!) to bring another hard-line reactionary figure to power (e.g., the current president of the Supreme Court, Carmen Lúcia).  
4.                   We must put an end to the cynical power games and institutional coup d'états of the ruling class! We must take advantage of the current crisis of their corrupt government! We can and must strengthen the power of the working class and the popular masses!  
5.                   How can we achieve this? First, we must stop the conspiracy of the ruling class with their obscure parliamentary maneuvers. We must bring down the corrupt Temer government ourselves! For a general strike and a popular uprising!  
6.                   We must call upon the CUT, MST, MTST, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, PT and all popular mass organizations to form a united front for struggle. We call these organizations to organize a general strike! We must force the vacillating and conservative bureaucrats at the heads of these organizations to organize the resistance.
 
7.                   But we must not trust them! These bureaucratic leaders have proven in the past that they are willing to subordinate the struggle for our interests in exchange for the participation in the bourgeois power institutions. We must put demands on these leaders, but we must carefully watch and control them.  
8.                   We must build popular action committees. These committees should be elected in popular assemblies in which all workers in workplaces and all people in neighborhoods participate. They should discuss the most important issues of the struggle and elect their delegates. These delegates should then convene a national congress that will discuss how to advance our struggle. These action committees should also control the leaderships of the mass organizations and lead the struggle against the Temer government themselves if the bureaucrats hesitate and betray it. Furthermore, such action committees should also create popular self-defense units to defend the people against the unavoidable attacks of the police and the army.  
9.                   Many people are calling for a direct election for a new president. While we understand the motivation for such a demand, we think that it is misplaced. The elections are controlled by the ruling class. They will do everything in their power to get rid of Lula – currently the most popular candidate for president – by putting him on trial. And even if Lula should be elected, they would do everything to undermine his government as they did with Dilma Rousseff.  
10.               In light of the fact that many people are currently following the lead of the CUT, MST, MTST, FBP, FPSM or PT, we call upon these popular organizations to take power into their own hands in the wake of the general strike and popular uprising. For a government of the CUT/INTERSINDICAL/CTB/MST/MTST/FBP/FPSM/CMP/PCO/PT and all popular mass movements! This could be a first step towards the creation of a workers’ and popular government!  
11.               Naturally, we call upon the workers and poor not to put any blind trust in the leaders of these organizations. They must be watched and controlled. Such a government should be put under the control of a national congress of action committees. In the end, it is such action committees, expanded to authentic workers’ and popular councils, which should form their own government – a workers’ and popular government!  
12.               In order to advance such a strategy and to put it into practice, we need to create an authentic revolutionary party. We call upon all activists to share such a perspective of struggle and to join the CCR in our efforts to build such a party as part of a new revolutionary workers' international!  
CUT- Central Única de Trabalhadores
INTERSINDICAL-  
CTB- Central dos Trabalhadores do Brasil
MST- Movimento de Trabalhadores Sem terra  
MTST- Movimento dos Trabalhadores Sem teto  
FBP – Frente Brasil Popular  
CMP-Central dos Movimentos Populares (CMP)  
FPSM – Frente povo Sem Medo  
PT- Partido dos Trabalhadores  
PCO- Partido de Causa Operária

sábado, 20 de maio de 2017

Todos às Ruas para Pôr Abaixo o Governo Temer!





Todos às Ruas  para Pôr  Abaixo o governo de Temer!

Por uma Frente Única da luta! Organizar uma greve geral e a Insurreição Popular Agora! Não ao continuado golpe da classe dominante! Por um governo popular dos trabalhadores!
Declaração da Corrente Comunista Revolucionária ( seção da CCRI no Brasil) 19 de maio de 2017,


1.      O governo Temer está em profunda crise. O que todo mundo já sabia antes está sendo agora comprovado por gravações de áudio. Temer, assim como outras figuras importantes do governo estão profundamente enredadas na teia da corrupção da classe dominante. De forma grotesca este governo  ilegítimo chegou ao poder no ano passado sob a bandeira da "luta contra a corrupção", que na verdade foi um golpe de estado institucional contra o governo eleito do PT liderado de Dilma Rousseff.
2.      A verdadeira razão para este golpe foi o desejo da classe dominante de acelerar os ataques contra a classe trabalhadora e as massas populares. É por isso  que Temer  precisa impulsionar por reformas trabalhistas e previdenciária mais amplas. Estas reformas destruirão os nossos ganhos sociais pelos quais lutamos muito no passado!
3.      Devido à resistência popular - incluindo a maior greve geral, desde há varias décadas, realizada em 28 de abril, com 40 milhões de pessoas participantes - contra essas reformas, a classe dominante está disposta a deixar Temer cair. Eles vão tentar continuar o seu golpe e reforçá-lo   através de manobras parlamentares (e novamente muitos subornos!) colocando outra figura linha dura reacionária no poder (por exemplo, a atual presidente da Suprema Corte Carmen Lúcia).
4.      Devemos barrar esse cínicos jogos de poder  e os golpes institucionais da classe dominante! Devemos utilizar em nosso proveito a crise desse governo corrupto! Podemos e devemos fortalecer o poder da classe trabalhadora e das massas populares!
5.      Como podemos conseguir isso? Primeiro devemos barrar a conspiração da classe dominante com suas obscuras manobras parlamentares. Devemos derrubar o corrupto governo de Temer! Organizar uma greve geral e um levante popular!
6.      Devemos chamar a CUT, o MST, o MTST, a Frente Brasil Popular, a Frente Povo Sem Medo, o PT e todas as organizações de massas populares a constituir uma frente única de luta. Chamamos essas organizações para organizar uma greve geral! Devemos forçar os burocratas  conservadores  e vacilantes no comando dessas organizações a organizar a resistência.
7.      Mas ao mesmo tempo não devemos confiar! Estes líderes burocráticos provaram no passado que estão dispostos a subordinar a luta pelos nossos interesses em troca da participação nas instituições do poder burguês. Devemos impor exigências a esses líderes, mas devemos observá-los e controlá-los cuidadosamente.
8.      Devemos construir comitês de ação populares. Esses comitês devem ser eleitos em assembléias populares em que participem todos os trabalhadores nos locais de trabalho e todas as pessoas nos bairros populares. Eles devem discutir as questões mais importantes da luta e eleger seus delegados. Estes delegados devem se reunir em um congresso nacional que deve discutir como avançar a nossa luta. Esses comitês de ação também devem controlar as lideranças das organizações de massa e liderar a luta contra o governo Temer, se esses burocratas hesitarem  e traírem. Além disso, tais comitês de ação deveriam também criar unidades populares de autodefesa, a fim de defender o povo contra os ataques inevitáveis da polícia e do exército.
9.      Muitas pessoas clamam por uma nova eleição direta. Embora possamos compreender a motivação para essa reivindicação, achamos que ela está equivocada. As eleições são controladas pela classe dominante. Eles farão tudo o que estiver ao seu alcance para se livrar de Lula - o candidato atualmente mais popular - colocando-o em julgamento. E mesmo que Lula fosse eleito, fariam tudo para controlar seu governo, como fizeram com Dilma Rousseff.
10.  Devido ao fato de que muitas pessoas atualmente seguem as lideranças da CUT, MST, MTST, FBP, FPSM e PT, nós chamamos essas organizações populares para tomar o poder em suas próprias mãos como resultado da greve geral e de um levante popular. Por  um governo que abrangesse as organizações e movimentos como  CUT / INTERSINDICAL / CTB / MST / MTST / FBP / FPSM / CMP / PCO / PT * e todos os movimentos populares de massa! Este poderia ser um primeiro passo para a criação de um governo popular e de trabalhadores.
11.  Naturalmente, dizemos aos trabalhadores e aos pobres para não colocarem qualquer confiança cega nos líderes dessas organizações. Eles devem ser observados e controlados. Tal governo deveria ser colocado sob o controle de um congresso nacional de comitês de ação. No final, serão esses tais comitês de ação expandidos como verdadeiros conselheiros populares e de trabalhadores  que devem formar seu próprio governo - um governo popular e de trabalhadores!
12.  Para poder avançar essa estratégia e colocá-la em prática, precisamos criar um autêntico partido revolucionário. Nós chamamos todos os ativistas para compartilhar tal perspectiva da luta para se  juntarem ao CCR em nossos esforços para construir tal partido como parte de uma nova internacional  dos trabalhadores revolucionários!

*CUT- Central Única de Trabalhadores /INTERSINDICAL/CTB- Central dos Trabalhadores do Brasil/MST- Movimento de Trabalhadores Sem terra/MTST- Movimento dos Trabalhadores Sem teto/FBP – Frente Brasil Popular/CMP-Central dos Movimentos Populares (CMP)/FPSM – Frente povo Sem  Medo/PT- Partido dos Trabalhadores/PCO- Partido de Causa Operária